Declamações Líquidas – 01

Publico aqui o primeiro de uma série de áudios com declamações de poemas que eu gosto. Com licença poéticaAdélia Prado Quando nasci um anjo esbelto,desses que tocam trombeta, anunciou:vai carregar bandeira.Cargo muito pesado pra mulher,esta espécie ainda envergonhada.Aceito os subterfúgios que me cabem,sem precisar mentir.Não sou tão feia que não possa casar,acho o Rio de…

Pacto com o diabo de ferro

A culpa era minha. Eu alternava entre pentear o cabelo para trás, usando um pequeno pente de marfim que trazia na bolsa, e me surpreender com meu reflexo nos espelhos de bronze polido espalhados pela sala. Não me importava a chegada gradual daquelas autoridades. Eu trocaria todos por ela, que ia odiar o vestido de…

Égua! É de beber, camará.

Aquiles sentiu a cabeça pesada, e a camisa básica de sempre estava ensopada de suor depois de um dia carregando caixas de legumes nas costas. Saiu do mercadinho aos tropeços, descendo as vielas do morro do dendê até alcançar a avenida paranapuan lá embaixo. Era um final de dia normal como todos os outros, um…