Paixão II

Uma rebeldia Encontrei a saída Você vai me encontrar Ofereço infâmia Glória para quem? Nada somente meu Você não vai facilitar Nesse passado há beleza como esquecer? Você não foi a origem Algo de bom não há Dissolvemos no tempo Receba meu espírito Não te atribuo esse pecado

Incenso

Uma correntezaDe sentimentalidadesEu aqui, remando,Contra minha vontade. Escrevo versosTão diversoDiferentesFora da realidade. Uma sutilezaMil efemeridadesEstou invocandoÉ meu baluarte. Escrevo gravidadesSão golpes brancosUm tiro ascéticoQue queima a carne. Silva, G.R.G16/02/2017

Declamações Líquidas – 01

Publico aqui o primeiro de uma série de áudios com declamações de poemas que eu gosto. Com licença poéticaAdélia Prado Quando nasci um anjo esbelto,desses que tocam trombeta, anunciou:vai carregar bandeira.Cargo muito pesado pra mulher,esta espécie ainda envergonhada.Aceito os subterfúgios que me cabem,sem precisar mentir.Não sou tão feia que não possa casar,acho o Rio de…