Desmembramento de um semicírculo

(por Matilde Campilho) Certo que nos dedicamos a místicas peregrinações. Exercitamos a respiração, lutamos brigas orientais, praticamos uma e sete vezes a tradução do poema chileno. Mas no fundo sabemos que o que importa mesmo é roçar a superfície negra da pele do peito do anjo que está vivo que não dorme.